sexta-feira, 31 de julho de 2009

A Sofia no colo da Mana

Esta é a Sofia, mascote da Lavanderia do Bicho, que pulou no colo da Mana.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Dara, filha de um bandido





Gente, a história é verdadeira!

Esta cachorrinha, que ainda é um bebezinho, está lá na Lavanderia do Bicho, aguardando que alguém a adote. O curioso sobre ela é que esta linda vira-lata é filha de um cachorrão famoso, procurado pela polícia como bandido e assaltante. Isso mesmo: o pai da Dara era um cachorrão que foi treinado para roubar bolsas de mulheres. Ele ia atrás, puxava a bolsa e depois corria, entregando a bolsa roubada para o treinador dele... este também procurado. Bem, o treinador e o cachorrão sumiram da área, mas deixaram esta filhotinha na rua, exposta ao frio e passando fome.
Alguém então juntou a Dara e entregou lá na Lavanderia, encomendando banho, vacinas e cuidados gerais. Entregou, sim, mas nunca mais apareceu para buscar. Já faz três semanas que isso aconteceu e, desde então, a Dara está la: vestida, alimentada e cuidada, esperando para ser adotada. Bonitinha, não é? E muito esperta!

Meu Reforço de Vacina



Agora, em dia. Nas fotos, eu e o meu veterinário, Dr. Marcelo Gonçalves de Azevedo, hoje, lá na Lavanderia do Bicho, onde tomei injeção bem quietinho, para reforçar minha vacina contra leptospirose canina.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Panda, um dog alemão de 1m90!




Isso mesmo... Ele tem 1m90 quando fica de pé. Taí a foto do meio que não nos deixa mentir.

Inteligente, senta, deita e até se finge de morto (olhem a primeira foto...), porque é treinado e educadíssimo. Claro que, por uma questâo de segurança, eu não brinquei com o Panda. Ele poderia se aborrecer com meus trinta e poucos centímetros de altura e, embora não seja nem um pouco agressivo, me desmontaria até brincando.

E vocês viram o moleton que ele está usando? Maior charme...

Sorte as fotos também. Parece que já mastigou alguns celulares... Bem, sabe como é? Celebridade, acostumado a aplausos. Fora que todo mundo olha quando ele passeia pelas ruas de Porto Alegre.

Elegante, estava ele hoje pela manhã passeando aqui perto de casa, quando eu e a Mana o encontramos, na companhia de seu dono, o Gustavo. Claro que fizemos fotos e a Mana até mandou todas para o e-mail que a gente anotou O problema é que voltaram... O e-mail foi devolvido! Isso aí! Delivery... Assim, Gustavo, por favor, se estives conectado com a gente, manda uma mensagem para aquele e-mail que te passamos, para que a Mana reenvie as fotos que ficaram muito boas por sinal.

Valeu!

Obrigada, Panda e Gustavo!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Epilepsia Canina. Alex e o Gardenal


Verdade, sim. Alex sofre de epilepsia e já teve convulsões fortíssimas que precisam ser controladas na base de Gardenal (fenobarbital), que ele toma a cada 12 horas, sem falta. A doença manifestou-se quando ele tinha apenas dois aninhos de idade, e quase nos matou de susto aqui em casa, pela violência dos ataques, especialmente por ele sempre ter sido um animal muito tranqüilo, calmo e saudável.

Alex não tem nem mesmo pulgas, sempre tomou todas as vacinas em dia, sejam as obrigatórias, sejam as opcionais, é desverminado a cada três meses e objeto de cuidados extremos com higiene e alimentação. Mesmo assim, como muitos outros cães, ele não escapou desta.

Se você possui um cachorrinho epiléptico, cuide dele com ainda mais carinho. Epilepsia não é contagiosa, portanto “não pega” nem mesmo pela “baba”, como algumas pessoas pouco esclarecidas acreditavam no passado. Nem sempre o animal perde a consciência na hora dos ataques, por isso é comum que se apavorem quando sofrem as convulsões. Urinam-se e, às vezes, ocorre também defecação. Há salivação abundante, e eles emitem uma espécie de ronco. É muito feio assistir a uma crise do tipo violento, como eram as que acometiam Alex. Todo o corpo sofre alterações musculares e fica rígido, com movimentos involuntários. Quando a doença apareceu, Alex sofria convulsões das mais violentas. Num só dia, teve mais de vinte e quase morreu. Hoje está livre delas há quase três anos, mas a medicação é sagrada. Ministrada todos os dias, com intervalo de doze horas.

O caso do Alex, ― que foi cuidadosamente avaliado, ― é de epilepsia hereditária, congênita, embora a doença possa ser adquirida em alguns casos. A dose do remédio (Gardenal Infantil em gotas) está sendo gradual e muito lentamente diminuída. Ele já precisou de doze gotas duas vezes ao dia. Felizmente agora se mantém livre das convulsões com a metade disso. Como ele ainda não fez nem cinco anos de idade, é importante que consiga manter-se com ainda menos que isso, pois os fenobarbitúricos, com o tempo, causam lesões hepáticas. É preciso dedicação para fazer-se presente na hora certa e não negligenciar o tratamento, porque, se as convulsões porventura retornarem, será preciso aumentar a dose da medicação e fazer um novo ajuste.

O diagnóstico inicial de epilepsia implica num período de adaptação e de experiência, para que se descubra qual é a dose mínima capaz de evitar os ataques, sem gerar um estado geral de prostração do animal.

Se o seu cachorrinho sofrer uma convulsão, socorra-o imediatamente e procure protegê-lo para que ele não se machuque, o que pode acontecer se ele cair ou se bater. Pegue-o no colo com cuidado e leve-o para um lugar longe da luz e o mais silencioso possível, para evitar estímulos que possam desencadear novas crises. Observe se ele não está sufocado, procurando deixar livre a boca e a laringe, para que ele possa respirar. Se ele perder a consciência, não vai reconhecê-lo. Mesmo assim, seja carinhoso e tranqüilize-o com sua presença, para que ele se recupere e logo se tranqüilize.

Epilepsia? Triste, sim. Chato mesmo, mas também não é o fim. Seu cachorrinho pode levar uma vida normal e saudável, desde que possa contar com você, com o seu amor, carinho e dedicação, enfim, com atitudes que ele, melhor do que qualquer outro ser, sabe retribuir. Ame seu cachorro, na alegria ou na tristeza, na saúde ou na doença. Ele, com toda certeza, merece.

domingo, 26 de julho de 2009

Estou de olho, heim!

Lindinho!

Ah! Olhem o charme do meu lenço vermelho de bolinhas brancas.

Seven

sábado, 25 de julho de 2009

Porto Alegre ZERO graus esta madrugada!

Frio daqueles, sim, senhor! Mas eu tomei o meu banho, como todos os sábados, porque na Lavanderia do Bicho tem ar condicionado e água bem quentinha. Eu estou limpinho, todo cheiroso e enfeitado com um laço especial que a Cris trouxe da feira de PETS que teve em São Paulo.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Amigo é tudo de bom!

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Um cachorro para amar

Amar um cachorro é tudo de bom.
Absolutamente nenhum de nossos atos de cuidado fica sem resposta, pois a capacidade de dedicação deles para conosco é sem igual. Surpreendente também é perceber o quanto eles “sabem” quando estamos tristes, aborrecidos ou doentes. Alex, meu maninho, “sabe” tudo de mim e mostra isso me olhando com aqueles seus imensos e doces olhos escuros, cheio de atenção e afeto. Ultimamente deu pra choramingar e tentar “conversar” com uma fala composta de “hum-huns” que interrogam a gente, pedindo comida, algum brinquedo ou mostrando satisfação.
Só quem tem um cachorro para amar sabe disso.
É uma imensa riqueza da qual dispomos nos melhores e nos piores momentos de nossas vidas, daí eu seguir com este Blog do Alex, que fez um ano agora em julho, e que já teve milhares de visitantes, aos quais agradeço de coração a presença, constante ou casual, sempre bem intencionada e generosa em seus comentários e elogios.
Mana

domingo, 19 de julho de 2009

Soninho....

Meu Penteado Lhasa Apso

domingo, 12 de julho de 2009

Olhem só pra mim! Adoro ganhar colinho!

Ma-ra-vi-lho-sa Rafaela!

Olha eu aqui, gente!

Mamãe Nikita

Nenezinhos!

Sonho Rosa

Vocês lembram da Nikita?

A Nikita já apareceu neste blog antes.
Minha querida amiguinha agora é mamãe. Eu a Mana fomos lá na casa dela sábado passado, para conhecer os dois nenezinhos. Tiramos fotos e filmamos. A Vanessa, agora vovó, e a Rafaela, titia, nos receberam com muito carinho!